Proposta da Comissão Europeia sobre a educação para a Sustentabilidade Ambiental

24 Jan 2022

“Tornarmo-nos no primeiro continente neutro em carbono é o maior desafio e oportunidade dos nossos tempos. Envolve tomarmos ações decisivas já.”

Ursula Von der Leyen

Numa altura em que a ação humana ameaça causar danos irreparáveis ao planeta, torna-se urgente a intervenção coletiva da sociedade, particularmente das camadas mais jovens e ativas na luta contra as alterações climáticas.

É neste sentido que surge a proposta de recomendação sobre a educação para a sustentabilidade ambiental: para dotar os Estados-membros da União Europeia de conhecimento face a temas como a sustentabilidade, alterações climáticas e biodiversidade, e transformar a economia e a sociedade. A recomendação vem da parte da Comissão Europeia e na sequência do Pacto Ecológico Europeu, que reúne uma série de estratégias de contenção das alterações climáticas.

De que forma é que esta proposta pode aumentar a literacia face à sustentabilidade? Qual a sua ligação com os planos e metas da Europa, entre os quais Portugal, para 2030? De que maneira esta proposta vai ao encontro dos objetivos de desenvolvimento sustentável definidos pela Organização das Nações Unidas?

A Proposta de educação para a sustentabilidade ambiental

Foi a 14 de janeiro de 2022 que a Comissão Europeia publicou uma proposta de recomendação para a educação face à sustentabilidade ambiental. O principal objetivo é a formação dos 27 estados-membros face às alterações climáticas e a diversas temáticas da sustentabilidade, para facilitar a transição ecológica.

Assim, a proposta de recomendação convida os Estados-membros a apostarem numa aprendizagem eficaz para a sustentabilidade ambiental, onde as escolas assumem um papel ativo e predominante na educação e mudança de hábitos dos mais jovens, através de diversas medidas:

  • Começar a educação para a sustentabilidade desde a infância, e criar uma abordagem de ensino ao longo da vida;
  • Criar ambientes de aprendizagem onde a instituição de ensino tem um papel ativo sobre a sustentabilidade;
  • Criar um ambiente de aprendizagem centrado no aluno, envolvente, positivo e baseado em experiências da vida real;
  • Apoiar educadores para ensinar e agir pela sustentabilidade;
  • Promover a colaboração e parcerias com comunidades locais;
  • Desenvolver competências de sustentabilidade, baseadas em políticas fortes.

Os Objetivos 2030 – Europa e Portugal

É verdade que a preocupação com as alterações climáticas e a transição ecológica tem sido uma constante na Europa dos últimos anos.

Esta proposta surge a par com a publicação de um quadro de competências europeu, que “define as competências necessárias para a transição ecológica, incluindo pensamento crítico, espírito de iniciativa, respeito pela natureza e compreensão do impacto das ações e decisões quotidianas no ambiente e no clima global”.

A transição ecológica faz também parte dos desafios para a Europa 2030, onde a procura por uma produção energética sustentável e a redução da dependência energética são parte dos grandes desafios para a próxima década. Sendo a luta contra as alterações climáticas um compromisso assumido por todos os estados-membro da União Europeia com a assinatura do acordo de Paris, a literacia face a estes temas assume uma importância muito significativa.

Concretamente em Portugal as prioridades do programa Portugal 2030 assentam em vários eixos, relacionados com a formação para a sustentabilidade ambiental, entre eles a qualificação para a transformação económica e social nacional e a criação de condições para a diminuição da dependência energética e adaptação às alterações climáticas.

Os Objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU

A preocupação com a educação para a sustentabilidade ambiental vai ainda mais além. A organização das Nações Unidas definiu em 2015 a Agenda 2030, através de 17 objetivos de desenvolvimento sustentável, entre eles a garantia de uma educação de qualidade.

Assim, deve ser garantido que até 2030 todos os alunos adquiram conhecimentos e habilidades necessárias para promover o desenvolvimento sustentável, por meio da educação para o desenvolvimento de estilos de vida amigos do ambiente, direitos humanos, igualdade de género, promoção de uma cultura de paz e da não violência, cidadania global e valorização da diversidade cultural.

A BE Bluenergy

Para a BE Bluenergy a formação para a sustentabilidade ambiental é de extrema importância.

Uma das nossas principais mais-valias está no acompanhamento profissional de todos os nossos parceiros, seja através de formações e apresentações periódicas, ou da promoção de boas práticas de consumo. Desta forma, conseguimos promover a educação ambiental ao mesmo tempo que reduzimos os custos e consumos de água e de energia de quem se junta a nós.

A BE Bluenergy é o parceiro ideal para a transição ecológica.

Vamos falar sobre

o seu projeto

Política de Privacidade

7 + 14 =