O que esperar da energia em 2023

20 Fev 2023

2022 foi um ano difícil para os mercados energéticos europeus. O bloqueio ao gás natural russo deixou as economias europeias vulneráveis a preços da energia que há dois ou três anos eram impensáveis. As energias renováveis tem sido fundamentais como parte da segurança energética europeia, mas tudo indica que estamos perante um período de energia mais cara. O que fazer? A regra parece simples: Produzir mais e consumir menos.

2022 – O fim da pandemia e o início da guerra

O ano de 2022 há de ficar na história. Mas será que vai ser lembrado como o ano em que acabou a pandemia da Covid-19 ou pelo ano em que a invasão russa da Ucrânia gerou o iniciar de uma crise energética na Europa?

Com poucos recursos fósseis na sua posse, com exceção do petróleo e gás natural do Mar do Norte, há já várias décadas que a União Europeia se viu na obrigação de se tornar pioneira no desenvolvimento de energias renováveis, sob pena de ficar totalmente dependente do petróleo e gás russo.

Resultado de uma política de aposta sistemática nas energias renováveis, Portugal pode ser considerado um caso de sucesso no que toca à adoção das energias de fonte renovável. Em 2022, e mesmo com um ano de hidraulicidade baixa – com uma produção hídrica 34% abaixo de 2021, Portugal obteve uma incorporação de 60% de energia renovável no consumo de eletricidade.

 

Figura 1 – Evolução da % de energia renovável no consumo de eletricidade em Portugal

Fonte: DGEG (adaptado)

O sol brilha

A fonte de energia renovável que cresceu mais em valores proporcionais foi a energia solar, com um aumento de 40% face a 2021, refletindo não só o enorme investimento em novas instalações, mas também a crescente atratividade com a competitividade crescente face a qualquer tipo de geração de energia. A energia fotovoltaica ultrapassou a biomassa como 3ª fonte de energia renovável no país, estando agora apenas atrás da energia hídrica e da eólica (à frente da biomassa, geotérmica e biogás).

Os investimentos em energia solar são – regra geral – bons para a sua empresa, mas existem várias questões a ter em consideração:

– Quantos painéis instalar? Que tipo de painéis? O que significa não ter manutenção incluída? É necessário um sistema com baterias?

O fim da eletricidade barata?

Desde finais de 2021 que o preço da eletricidade tem subido constantemente nos mercados europeus, com destaque para o OMIE – o mercado ibérico de eletricidade.  Em 2023 o preço tem estabilizado entre os 100 e os 150€/MWh o que ainda significa um aumento significativo dos preços pré 2021.

 

Figura 2 – Evolução do preço anual spot da eletricidade (OMIE)

Fonte: DGEG (adaptado)

 

O mercado de eletricidade encontra-se ainda bastante agitado com os preços praticados pelos comercializadores a variarem consideravelmente.

Desde 1 de janeiro de 2023 que os mecanismos de ajuste estão a ser passados para os consumidores finais. O preço do gás natural no mercado ibérico – o MIBGÁS – tem estado relativamente estável, pelo que o valor transferido aos consumidores finais tem sido bastante reduzido. Mas até quando?

Qual é a melhor comercializadora?

Esta é a pergunta de 1 milhão de euros. Quem é realmente a empresa que garante o melhor preço? A resposta não é simples, pois as comercializadoras fazem preços diferentes a toda a hora, e cada vez mais existem parecenças com o setor hoteleiro ou das viagens aéreas – é quase garantido que toda a gente paga um valor diferente – e muitas vezes ninguém sabe ao certo o que é um bom valor e o que é um valor exagerado.

Em termos práticos, no início de 2023 pode-se dizer com alguma segurança que caso seja possível, o melhor será optar pelo mercado regulado face ao mercado liberalizado. Isto tanto para a eletricidade como para o gás natural. Mas durante quanto tempo será assim? E quando o mercado regulado não é solução? (consumos de eletricidade e gás natural de maior expressão não têm esta opção).

Qual é o papel da BE Bluenergy?

Na BE Bluenergy conhecemos de perto o setor da energia (e água), sabendo onde encontrar a melhor solução para cada tipo de problema. Depois de analisar detalhadamente o perfil de consumo, ajudamos a definir o plano energético, que pode passar pela diminuição de consumo, a produção de energia renovável ou a renegociação de tarifas. Venha conhecer-nos em www.bebluenergy.pt.

Vamos falar sobre

o seu projeto

Política de Privacidade

9 + 12 =