Veículos Elétricos: Saiba como otimizar os seus carregamentos

3 Abr 2023

A mudança de paradigma

A proliferação de veículos elétricos e híbridos no mundo ocidental começa finalmente a mudar o paradigma dos últimos 100 anos, onde os combustíveis fósseis dominaram em larga escala o abastecimento do transporte rodoviário. Nos finais de 2020 já existiam 10 milhões de veículos elétricos – VE (esta categoria engloba 100% elétricos e híbridos) em todo o Mundo, sendo que a Agência Internacional de Energia aponta para um total de 200 milhões até 2030.

Em 2022, no que toca a viaturas novas, os VE ocuparam 10% das vendas globais. Já em Portugal, este número foi mais do dobro, com cerca de 22% dos novos carros a serem VE.

Sendo que o preço de venda final de um VE continua a ser mais elevado do que o de um automóvel a gasolina ou gasóleo, com a instabilidade trazida pela guerra na Ucrânia ao preço destes combustíveis (e também ao preço da eletricidade, mas de uma forma bastante mais leve), os custos de cada abastecimento tornaram a equação ainda mais favorável aos veículos elétricos.  Se juntarmos a este ponto as crescentes preocupações ambientais dos portugueses, os incentivos financeiros, os desenvolvimentos nas baterias de lítio e correspondente aumento da autonomia, percebemos que os VE são cada vez mais o presente, mas sobretudo o futuro do transporte rodoviário.

Quanto consomem os VE?

Tal como nos veículos a gasolina / gasóleo o consumo estará sempre dependente da potência do automóvel, e sobretudo do estilo de condução. Se assumirmos um consumo de 5 ou 6 litros de combustível por cada 100 quilómetros (condução defensiva), estamos perante um custo de 9,35€. Quanto aos VE, a dependência é semelhante (potência do automóvel e estilo de condução), mas se considerarmos os mesmos parâmetros estamos perante consumos a rondar os 25 kWh aos 100 quilómetros e custos na ordem dos 4,05€. Estes valores devem ser usados apenas como referência, mas devem alertar para o óbvio – a eletricidade é mais barata que a gasolina / gasóleo, mas os aumentos dos últimos dois anos devem servir como cautela e alerta para a necessidade de monitorização e gestão dos consumos.

Como poupar nos abastecimentos com VE?

Existem duas grandes formas de poupar nos abastecimentos de VE. A primeira é a instalação de postos de carregamento com painéis solares integrados, permitindo a alimentação durante o dia dos seus VE quando os painéis estão a produzir. Esta opção tem naturalmente custos de investimento inicial, mas são amortizados com a utilização “gratuita” da energia no tempo de vida útil dos painéis.

Por outro lado, pode optar por um carregamento noturno, beneficiando de tarifas que privilegiam o consumo em certas horas do dia (geralmente pela noite dentro). Esta utilização pode-se tornar bem mais cómoda com utilização de uma simples programação (através de uma smart ou dumb plug). Esta opção é muito económica e tem um retorno que pode ser considerado surpreendente.

Venha perceber qual é a opção que lhe faz mais sentido com a BE Bluenergy – especialistas em monitorização de consumos de energia e água.

Vamos falar sobre

o seu projeto

Política de Privacidade

4 + 12 =